Páginas

Epidemia de dengue no Rio

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Mais três municípios do Estado do Rio enfrentam epidemia de dengue. Ao todo, são agora 10 cidades, contra 7 da semana passada. Levantamento divulgado ontem pela Secretaria Estadual de Saúde também revelou que 23 pessoas já morreram pela doença de janeiro a março desse ano. O número de mortes nos três primeiros meses de 2011 já é maior do que a metade dos óbitos registrados em todo o ano passado (43).



Segundo a infectologista Jois Ortega, do Instituto de Pesquisas Clínicas Evandro Chagas (Ipec/Fiocruz), o fato de mais três municípios estarem com epidemia não causa surpresas.

“Embora não seja desejável que o número aumente, não podemos dizer que é surpreendente. A circulação do subtipo 1 do vírus está intensa e as temperaturas ainda estão altas. Podemos observar também que os casos mais graves da doença são em crianças, que nunca tiveram contato com esse tipo da doença”, explica.

BEBÊS E IDOSOS

Ainda segundo as estatísticas divulgadas ontem pelo Estado, das 23 vítimas fatais, nove eram crianças com idades entre 0 e 12 anos, e cinco eram idosos maiores de 60 anos. “Bebês e idosos são mais vulneráveis. Ambos se desidratam com facilidade. Não é só pela quantidade de líquido ingerido. Tem a ver com fatores ligados ao organismo”, esclarece Jois Ortega.

De janeiro até o dia 26 passado, 31.412 casos suspeitos de dengue foram notificados no Estado do Rio. Até a semana passada, eram 26.258 — cerca de 5 mil a menos.

Estado investiga se São Gonçalo esconde número real de doentes

O superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental do Estado, Alexandre Chieppe, afirmou ontem que a Secretaria estadual de Saúde investigará se a Prefeitura de São Gonçalo está subnotificando casos suspeitos de dengue. Segundo números oficiais, houve 589 infectados e três mortes na cidade este ano. Mas o número de doentes nos municípios do entorno está bem mais alto, o que levantou a dúvida.

Além de enfrentar a dengue, os gonçalenses também sofrem com a falta de atendimento e a superlotação nos hospitais. Internada com dengue hemorrágica no Pronto Socorro de São Gonçalo, Luana Paula Pimentel do Vabo, 25, conta que só conseguiu ser admitida na última vez em que foi ao hospital, terça feira. Seu estado de saúde já era grave. “Antes, me diziam só para beber água. Terça-feira já disseram que era dengue hemorrágica e me internaram. Não tem médico para todo mundo”, lamentou-se, ressaltando que, desde que foi internada, só foi avaliada por médicos duas vezes.

A assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde de São Gonçalo admitiu a superlotação por dengue e afirmou que o pronto socorro está trabalhando com sua capacidade máxima “em função de problemas em outras unidades, de outros municípios”.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Rafael Mafagafo já havia dito : A verdade é que eu acho legal o pessoal acessar o site e não deixar um recadinho… eh massa…
eh a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? não custa deixar um recadinho falando… legal…

 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010