Páginas

Mecanismo molécular da contração Muscular

sexta-feira, 9 de julho de 2010



Após abordar anteriormente a nomenclatura das estruturas que compõe o sistema muscular em - Anatomia e Fisiologia do Músculo Esquelético - Iremos discorrer hoje sobre contração muscular com enfoque na esquelética.

No estado relaxado os filamentos de actina, cuja tem extremidades fixadas na membrana Z, apenas ficam superpostas em relação aos filamentos de miosina. No estado contraido os filamentos de actina são tracionados para o centro dos filamentos de miosina.





O que faz o filamento de actina deslizar-se ao longo do de miosina são as forças atrativas que se desenvolvem entre os filamentos.

  • Etapas para contração muscular

A passagem do potencial de Ação (PA) pelo músculo adentra os túbulos T e assim alcançará o retículo sarcoplasmático que liberará íons de Cálcio para o sarcoplasma banhando assim as miofibrilas ativando o movimento da miosina sobre a actina, sendo que, para manter esse movimento as mitocondrias produzem ATP que serão degradados em ADP sendo a energia liberada utilizada.

A interação entre os filamentos para a contração se dá devido, principalmente, pelos componentes do filamento de actina, sendo eles:

Actina: Ficam em duas cadeias moleculares em forma de Helice, onde o local onde o ADP é preso são os pontos ativos da actina.

Tropomiosina: Tem a função de cobrir fisicamente os pontos ativos da actina no momento de repouso.

Troponina: Complexo de três moléculas globulares que ficam em intervalos regulares de tropomiosina, tendo que cada molécula tem afinidade com uma estrutura diferente, sendo uma Cálcio, outra Actina e outra tropomiosina, com isso a troponina é responsável por desencadear a contração.


  • Interação dos filamentos de actina e miosina para contração


Os filamentos de acitina sem a presença do complexo troponina-tropomiosina, fixa fortemente a molécula de miosina causando a contração, porém com a presença do complexo troponina-tropomiosina há inibição da actina.

Contudo, havendo a presença de íons de Cálcio no sarcoplasma faz com que a troponina, que tem grande afinidade ao Cálcio, coloque a exposição os pontos ativos da actina fazendo a contração ao se ligar a miosina.

  • Teoria da catraca para contração - Ativação

Logo que o filamento de actina fica ativado pelos íons de Cálcio, é admitido que as cabeças das pontes cruzadas dos filamentos de miosina sejam imediatamente atraídos pelos pontos ativos da actina, o que causa a contração.

A teoria da catraca para contração, diz que: Duas cabeças de das pontes cruzadas se fixam em dois pontos ativos do filamento de actina, essa fixação produz modificações intramolecular entre a cabeça e o braço da ponte cruzada, isso faz com que a cabeça fique curvada em direção ao braço da ponte cruzada trazendo assim o filamento de actina em direção a miosina.

Esse encurvamento entre a cabeça e braço é chamado cursos-de-potência (Powerstroke) ou força-de-deslocamento e automaticamente após o encurvamento a cabeça se solta do ponto ativo voltando a posição normal.

  • ATP como fonte de energia para contração

Uma vez a ponte cruzada tendo completado seu curso-de-potência a posição curvada expõe um ponto onde a molécula de ATP se liga, fazendo assim a interação entre a cabeça da miosina e o ponto ativo do filamento de actina. O ATP é degradado pela ATPase sendo a energia liberada usada pela cabeça para voltar a seu estado normal.

  • Contração muscular: Acoplamento - Excitação - Contração

O início da contração do músculo esquelético começa com os potencias de ações das fibras, cuja por possuir camada tão grossa faz com que o PA produza fluxo insignificante, então para que a contração ocorra o PA entra através dos túbulos T, que são extensões a membrana muscular em forma de invaginações. Com isso o potencial de ação consegue atingir os retículos sarcoplasmáticos fazendo assim que eles liberem íons de Cálcio na vizinhança imediata das miofribilas e esses íons provocam a contração.


Esses íons no sarcoplasma fazem com que a tropomiosina deixe desprotegido os pontos ativos da actina que estavam recobertos pela tropomiosina, fazendo assim a cabeça da ponte cruzada se ligar ao ponto ativo e sofrer atração com o braço (contração).

Para interromper esse ciclo existe bombas de Cálcio na membrana do retículo sarcoplasmático que retira os íons do sarcoplasma.

Gostou da postagem? Assine nosso feed e receba nossas novidades no teu e-mail gratuitamente!



4 comentários

Anônimo disse...

Muito bom o conteúdo. Me deu uma grande ajuda pra estudar pra prova de amanhã de fisiologia humana. Parabéns!

Lucas Queiroz disse...

@Anônimo, fico feliz que tenha ajudado. Boa prova amanhã.

Anônimo disse...

Mto bom o contéudo!! Vai me ajudar e mto. Valeu.

vaniele disse...

nossa estava com duvidas sobre teoria da catraca,obg por tirá.

Postar um comentário

Rafael Mafagafo já havia dito : A verdade é que eu acho legal o pessoal acessar o site e não deixar um recadinho… eh massa…
eh a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? não custa deixar um recadinho falando… legal…

 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010