Páginas

Atividade física reduz em 60% sintomas da asma.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Da Folha

A atividade física reduz em até 60% os sintomas da asma, como tosse, chiado, falta de ar e aperto no peito, segundo um estudo realizado pelo Serviço de Fisioterapia do Instituto Central do Hospital das Clínicas da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). De 16 episódios por mês, os pacientes passaram a apresentar seis.


Além da redução dos sintomas, os aspectos psicossociais, como ansiedade e depressão -características dos asmáticos por natureza- foram atenuados, de acordo com a pesquisa, comprovando a eficácia do método para a melhora da qualidade de vida e autoestima dos pacientes.


Durante três anos, o estudo avaliou 101 adultos, com idade entre 20 e 50 anos, em tratamento no hospital.


Na primeira fase, os pacientes participaram de um programa educacional. Os pesquisadores enfatizaram o controle dos fatores ambientais que desencadeiam as crises asmáticas, o uso correto da medicação durante o tratamento e a automonitorização dos sinais e sintomas da doença.


Depois, eles foram divididos em dois grupos. O primeiro passou por um tratamento fisioterápico, com a realização de exercícios respiratórios e treinamento aeróbico, além de acompanhamento clínicos. As atividades físicas aconteceram duas vezes por semana, durante 30 minutos, por três meses.


O outro grupo só recebeu exercícios respiratórios e acompanhamento clínico. Em ambos os casos, a medicação não sofreu alteração.


Os resultados surpreenderam os especialistas. Aqueles que foram submetidos a atividades físicas tiveram menos sintomas de asma e melhoraram a qualidade de vida, especialmente na época do inverno, quando há mais problemas de saúde, enquanto o outro grupo não apresentou mudanças no quadro clínico.


Segundo o autor do trabalho, o fisioterapeuta Felipe Mendes, na maioria das vezes a atividade física é considerada vilã para pacientes asmáticos por ser um dos fatores desencadeantes mais comuns de crises.


Por essa razão, os portadores de asma tendem a ser menos ativos e mais descondicionados que seus pares saudáveis. No entanto, quando o exercício físico é realizado corretamente as complicações são minimizadas.


Em 2007, estudos do HC comprovaram a eficácia do método em crianças. Agora, os pesquisadores querem compreender a influência do exercício aeróbio no processo inflamatório pulmonar.


Uma das hipóteses é que o exercício aeróbio reduz a resposta alérgica e aumenta a produção de mediadores antiflamatórios como já verificado em estudos com animais, explica Celso Carvalho, orientador do estudo.


A asma é uma doença inflamatória da mucosa bronquial que impede a passagem do ar até os pulmões. O quadro é caracterizado por falta de ar, acompanhado de tosse, chiado e aperto no peito. Normalmente é controlado com o uso de broncodilatadores que cumprem a função de expandir os brônquios e permitir a passagem de ar.
(Folha Online)



Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Rafael Mafagafo já havia dito : A verdade é que eu acho legal o pessoal acessar o site e não deixar um recadinho… eh massa…
eh a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? não custa deixar um recadinho falando… legal…

 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010