Páginas

Esquistossomose (Schistosoma mansoni) - 2

terça-feira, 10 de novembro de 2009

[VER 1ª PARTE]

  • Ciclo Interno Resumido

Schistosoma mansoni 2Como já foi explicado na primeira parte dessa postagem, uma vez no sistema porta intra-hepático, os esquistossomos se alimentam e se desenvolvem transformando-se em macho e femêa, 25 a 30 dias após a penetração. Daí migram acasalados, para o território da veia mesentérica interior, onde faram ovo posição. Os ovos são depositados nos tecidos em torno do 35º dia de infecção, imaturos, e a formação do miracidio (ovo maduro) demanda seis dias. Os primeiros ovos são vistos nas fezes cerca de 42 horas após a infecção no hospedeiro.

  • Transmissão

A transmissão da schistosoma mansoni dar-se por penetração ativa em locais como; hortas, córregos, poços, locais onde lavadeiras trabalham.

  • Patogenia

Está ligado a vários fatores como; número de parasitos, idade do hospedeiro, sistema imunológico entre outros.

1. Cercaria

Chamada de dermatite cercariana, e caracterizada como processo inflamatório de grande importância, pois, elimina grande parte das cercarias pela pele e pulmão.

2. Esquistossômulos

Após 3 dias da invasão da cercaria os esquistossomos surgem e vão ao encontro do fígado, lá ocasionam o aumento do baço e para se proteger o parasito vira uma molécula semelhante as do hospedeiro.

3. Verme Adulto

Os vermes adultos intra-hepático não ocasionam mal extremo, mas quando morrem são arrastados para o fígado ocasionando a partir daí debilitação do hospedeiro. Mas os adultos vivos também podem trazer danos ao hospedeiro através do alto metabolismo que o verme possui.

4. Ovos

Em grande numero podem ocasionar edemas, ulceras e lesões.

  • Tipos de Esquistossomose aguda

Doença dividida em duas categorias:

1. Esquistossomose Aguda

Pode se apresentar de imediato a infecção pelo parasito, fases:

Fase pré-postural: Com sintomas variados, ocorre de 10 a 35 dias apos a infecção. Alguns são assintomáticos e outros pacientes (não gosto de usar o termo cliente, dá um ar de capitalismo) podem se queixar de dores abdominais, febre e hepatite.

Fase aguda: aparece apos 50 dias e pode ter duração de cerca de 120 dias apos a infecção. Nessa fase ocorre a disseminação miliar dos ovos, principalmente na parede do intestino, com áreas de necrose.

2. Esquistossomose crônica

Apresenta grande variações clinicas, sendo predominantemente intestinal.

Intestino: Dor abdominal, diarréia mucossanguinolenta, essa diarréia é devido a passagem dos ovos para a luz intestinal, causando assim pequenas, mas numerosas, hemorragias.

Fígado: As alterações surgem a partir da ovo posição e formação de granulomas, dependendo do numero de ovos e o grau de evolução dos granulomas. Esse órgão apresenta o aumento de volume e sua palpação é dolorosa. A ascite (Barriga d’água) e vista nas formas hepatoesplenicas mais graves e decorre das alterações hemodinâmicas, principalmente a hipertensão.

  • Epidemiologia:

A esquistossomose é transmitida por 3 tipos de caramujos do gênero Biomphalaria, sendo eles:

Biomphalaria glabrata: Rio Grande do Norte até Minas Gerais; Biomphalaria glabrata

Biomphalaria straminea: Única espécie no Ceará, Pará (focos), Goiás (Goiânia) e agreste nordestino;

Biomphalaria tenogophila: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina.

Sendo a esquistossomose uma doença tão presente no Brasil, faz se necessário a profilaxia da população através do saneamento básico, conscientização do povo e tratamento dos doentes através da quimioterapia e medicamentos como praziquantel.

1 Comentário

Anônimo disse...

Muito Bacana este tema de schistosoma mansoni, me ajudou bastante, tirei varias duvidas atraves de site.....

Parabéns para o autor.........

Postar um comentário

Rafael Mafagafo já havia dito : A verdade é que eu acho legal o pessoal acessar o site e não deixar um recadinho… eh massa…
eh a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? não custa deixar um recadinho falando… legal…

 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010