Páginas

Doença de Chagas (Tripanossoma cruzi)

sábado, 10 de outubro de 2009

TrypanosomaO Trypanosoma cruzi é um protozoário agente etiológico da tripanossomíase ou esquizotripanose, mais conhecida no brasil como doença de chagas.


Morfologia


  • Hospedeiros Vertebrados:

Nos vertebrados e nas culturas de tecidos são encontrados intracelularmente as formas amastígotas e extracelularmente as formas tripomastígotas, presente no sangue circulante. As duas formas são infectantes para células in vitro e para vertebrados.


A forma tripomastígota tem “polimorfismo sendo eles:


  1. Forma delgada: Mais infectante para as células, ou seja, de reprodução rápida, mas pouco resistente a anticorpos, além de terem menos capacidade de desenvolverem nos vetores (barbeiros).
  2. Forma larga: Menos infectante, por outro lado mais resistente a anticorpos.


No acompanhamento de uma infecção observou-se que no inicio a forma mais predominante é a delgada, pois a defesa imunológica ainda é baixa e com o passar do tempo , com o aumento da defesa, há uma predominação pela forma larga.


  • Hospedeiro Invertebrado:

Inicialmente são encontradas as formas arredondadas com flagelo circundando o corpo, denominados esferomastígotas, presentes no estomago e intestino; formas epimastígotas presentes em todo o intestino e tripomastígota presente no reto.


Biologia


Seu ciclo é do tipo heteroxênico, passando por uma fase de multiplicação intracelular no hospedeiro e extracelular no vetor.


  • Ciclo Biológico no hospedeiro vertebrado:

Amastígota, epimastígota, tripomastígota interagem nas células dos vertebrados, mas apenas as epimastígotas não desenvolvem nem se reproduzem.


Considerando o mecanismo de infecção do Trypanosoma cruzi, os tripomastígotas metaciliados eliminados nas feses e urina do vetor (barbeiro), durante ou logo depois o repasto sanguíneo¹,penetram no local da picada e interagem com células SMF² da pele ou da mucosa. Neste local ocorre a transformação de tripomastígota em amastígota, daí se multiplicam por divisão binária simples. Então as tripomastígotas são liberadas e caem no interstício, em seguida vão para a circulação infectando qualquer outro órgão do corpo. A depender da quantidade do protozoário no sangue do hospedeiro, a tripanossomíase pode ser classifica em duas fase:


  1. Fase aguda: Grande quantidade de parasito circulante;
  2. Fase crônica: Pouco número de parasito circulante.


A interação entre o parasito e a célula se dá em 3 momentos.


  1. Adesão celular: Quando ambos se reconhecem e o contato entre as membranas ocorre;
  2. Interiorização: Quando a formação de pseudopodos (falsos pés-ganchos);
  3. Fenômenos intracelulares: Quando a forma epimastígota e destruída, enquanto a forma tripomastígota resiste e faz sua transformação em amastígota que mais tarde volta a ser tripomastígota e cai no interstício.


Mecanismos de Infecção

  • Transmissão pelo vetor;
  • Transfusão sanguínea;
  • Transmissão congênita (Via parto);
  • Acidentes em laboratórios;
  • Transmissão oral: Através do leite (fase aguda da doença)

Sinal de RomanãFase Aguda: Inicia-se através das manifestações locais, quando o Trypanosoma cruzi penetra pela conjuntiva* ou na pele.


* Sinal de Romanã : Se caracteriza quando o protozoário entra através da conjuntiva, causando um edema bipalpebral unilateral.


Fase Crônica

Assintomática: apos a fase aguda o sobrevivente passa por 10 a 30 anos sem sintomas.


Sintomática: Certo número de pessoas apos um período sem sintomas, começam a apresentar doenças como circulatórias e digestivas.


¹ Repasto sanguíneo: Quando o vetor está a se alimentar do sangue do hospedeiro.

² Células do SMF são produzidas na medula óssea e lançadas na corrente sangüínea sob a forma de monócitos para posteriormente migrarem aos tecidos.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Rafael Mafagafo já havia dito : A verdade é que eu acho legal o pessoal acessar o site e não deixar um recadinho… eh massa…
eh a mesma coisa que você cagar e não puxar a descarga… porque querendo ou não você usou aquilo, pode ser num momento de merda, mas usou certo? não custa deixar um recadinho falando… legal…

 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010