Páginas

1 2 3 4

As doenças mais comuns na Infância




Existem diversos tipos de doenças que acometem as crianças, principalmente na sua fase pré-escolar. Nessa faixa etária a criança está susceptível a diversas doenças, podendo essas serem enquadradas basicamente em:

  1. Doenças carenciais: Não absorção de algum tipo de substância necessária ao organismo;
  2. Infecções das Vias Aéreas: Doenças virais ou bacterianas que atinge qualquer parte das vias respiratórias;
  3. Diarreia e desidratação

Essa tríade pode ser evitada pelo simples acompanhamento adequado da criança pela Unidade de Saúde da Família mais próxima através da Política Nacional de Atenção à Saúde da Criança.

Hoje iremos conhecer mais acerca da diarreia aguda e desidratação, comuns na infância, e como proceder quando a criança apresentar uma dessas complicações.

DIARRÉIA AGUDA


A diarreia  aguda na infância tem grande magnitude no Brasil devido a parte da população viver em condições precárias sem esgotamento sanitário e instrução.

Caracteriza-se pela perda de água e eletrólitos, aumento do volume e frequência das evacuações, além das fezes apresentarem uma menor consistência do que o habitual. A diarréia é causada por um agente infeccioso, com duração menor que 2 semanas. As complicações que causam a morte são a desnutrição e desidratação devido ao grande fluxo intestinal do quadro de diarréia aguda que reduz a absorção de nutrientes e líquidos advindos dos alimentos ingeridos.

Causadores comuns: Vírus (Rotavírus, Adenovírus); Bactérias (Salmonella, Staphylococcus); Parasitas (Ascaris, Giardia lambia).

 DESNUTRIÇÃO

Termo que designa o déficit de proteínas e calorias na dieta, podendo ser originado por vários fatores como absorção inadequada (exemplo a diarreia pelo fluxo rápido do alimento) ou ingestão insatisfatória (no sentido de qualidade e não quantidade). Os fatores que infuenciam numa boa dieta são:

  1. Nível socioeconômico;
  2. Condições ambientais;
  3. Baixo nível mental da mãe;  
  4. Privação afetiva;

  •  Tipos
  1. Marasmo: Baixa quantidades de calorias ingeridas no dia (vária de acordo a faixa etária) e baixa ingesta de proteína devido a baixa qualidade e quantidade dos alimentos. O marasmo acomete normalmente as criança maiores de 1 ano e essas apresentam grande emagrecimento.
  2. Kwashiorkor: Baixa ingestão de proteínas. Acomete principalmente crianças de 1-4 anos e essas apresentam edema de face e cabelos quebradiços.
  3. Marasmo-Kwashiorkor: As crianças com esse tipo de desnutrição sofrem deficiências importantes de proteína e calorias. Nessa categorias vários sistemas são afetados e há o aparecimento de lesões cerebrais levando ao déficit cognitivo.


DESIDRATAÇÃO

Acomete em maior proporção as crianças menores de 1 ano devido a maior proporção de água em seu corpo. Pode ser causada por diarreia, vômitos, infecções ou desnutrição (fator predisponente). Com base nos sinais e sintomas a criança, na unidade de saúde, é classificada e tratada com Soro de Reidratação Oral (SRO) segundo os seguintes planos:

  1. Plano A - Diarreia sem desidratação;
  2. Plano B - Diarréia e alguns sinais de desidratação; 
  3. Plano C - Diarreia com desidratação grave.


Aos que procuram uma orientação sobre alguma dessas complicações acima o mais recomendado é a procura imediata de uma unidade de saúde, pois os casos acima são passiveis de grande complexidade causal, como por exemplo a diarreia, porém são passíveis de medidas que possam melhorar as condições de tratamento de modo a retomada do equilíbrio do organismo o mais rápido possivel. Contudo, para que isso ocorra, faz-se necessário o acompanhamento de um profissional de saúde capacitado e, no caso de crianças, de uma mãe dedicada a seguir todas orientações passadas a ela.
Ler Mais

Principais tipos de curativos e suas indicações para feridas



O curativo tem o objetivo de proteger uma lesão, firmar ou mobilizar a ferida. Além de absorver a drenagem, evitar a contaminação, favorecer hemostasia, desbridamento e propiciar ambiente ideal para cicatrização. Um curativo pode conter até duas coberturas sendo elas:

1-Primária: Fica em contato direto com a lesão;
2 -Secundária: Fica acima da primária, servindo de uma proteção extra a lesão.

Troca de curativo:

A ferida deve ser manipulada do meio menos contaminado para o mais contaminado, destaca-se que normalmente  o Soro Fisiológico 0,9% (SF 0,9%) é utilizado como solução de irrigação.

Tipos de curativos:

Devido a existência de feridas com diversas características, tais como as contaminadas, secas, sanguinolentas, necrosadas, limpas etc, e que muitas vezes essas características apresentam-se combinadas entre si, existe uma infinidade de curativos para o tratamento dos mais diversos tipos de ferimentos. A seguir listaremos os principais tipos de curativos, que abrangem a maior parte das lesões mais comuns, acompanhados de um sucinto resumo de suas indicações, orientações e troca.

HIDROGEL: Para feridas secas (com ou sem necrose). Preenche os espaços mortos e promove desbridamento. Deve ser trocado no espaço de tempo de 8 a 48 horas.

Ácido Graxos Essênciais (AGE): Para todos os tipos de lesões, desde que não tenham sido desbridadas recentemente. Promove quimiotaxia para os leucócitos e mitose celular estimulando a formação de tecidos de granulação. Também mantém a umidade.

HIDROCOLÓIDE: Para feridas sem ou com moderado exudato e que não estejam infectadas. Promove desbridamento, protege da contaminação e dispensa curativo secundário. Promove a formação de tecidos de granulação e epitalização. A troca deve ser realizada no espaço de 7 dias.

ALGINATO DE CÁLCIO: Para feridas com muito exudato ou com sangramento. O alginato oblitera espaços mortos e absorve o exudato, além de promover a homostasia. Requer cobertura secundária. Troca pode ser feita entre 12 horas a 14 dias.

PAPAÍNA: Enzima extraída do latex da caricapayna, é indicada para tratamento de tecido necrótico, principalmente naqueles com crosta. Somada a ação desbridante, a papaína também tem ação bactericida. No seu uso, irriga-se a ferida com a concentração adequada ao quadro de gravidade, sendo preconizado 10% (tecido necrosado), 6% (presença de exudato purulento), 2% (pouco exudato).

CARVÃO ATIVADO: Para feridas infectadas e com exudato.

FILME COM MEMBRANA DE POLIURETANO: Para lesões profundas e não infectadas.

Considerações Finais:

Vale ressaltar que o tipo de curativo e o tempo de troca dos curativos poderá variar para mais ou para menos a depender do quadro clínico de cada paciente, cabendo exclusivamente ao profissional de saúde estabelecer a melhor terapêutica ao paciente em questão, mesmo que seu tratamento esteja sendo domiciliar.
Ler Mais

Download - Abbas e Lichtman: Imunologia Básica 2ª ed



Livro - Abbas e Lichtman: Imunologia Básica 2ª ed
Esta edição de 'Imunologia Básica' reflete os novos avanços na nossa compreensão do sistema imunológico e para tornar a apresentação das informações mais útil, clara e concisa para estudantes e professores.
O livro apresenta os princípios que governam a função do sistema imunológico. O objetivo fundamental foi sintetizar os conceitos-chave da ampla quantidade de dados experimentais que emergem no campo da imunologia. O livro mantém foco nas respostas imunológicas contra os microrganismos infecciosos e todas as nossas discussões sobre o sistema imunológico estão nesse contexto. Diversas ilustrações destacam importantes princípios.
Discussões das doenças imunológicas também sob a perspectiva dos princípios, enfatizando suas relações com as respostas imunes normais e evitando detalhes das síndromes clínicas e tratamentos. Foi adicionado no Apêndice alguns casos clínicos específicos para ilustrar como os conceitos de imunologia podem ser aplicados às doenças humanas comuns.

Nome do livro: Imunologia Básica 2ª ed
Autores: Abbas e Lichtman
Idioma: Português
Tamanho do arquivo: 107,8MB




Para download é necessário ter instalado o uTorrent. 
Ler Mais

Informes - A volta dos que não foram

Boa noite pessoal, estou fazendo um post rápido para avisar a todos que estou retornando lentamente ao blog, sei que estou em falta com os que acompanham o site, mas a vida academia estava e está corrida, ainda mais agora com monografia. Nesse tempo que sumi já fiz algumas produções textuais para publicação, participei do projeto PET Saúde Mental, iniciei curso de inglês e extracurricular e monografia, dentre outras tarefas extras que não se restrigem apenas aos estudos, afinal não sou de ferro hehehe.

Pois bem chega de papo, como já disse antes estou voltando aos poucos, de inicio estou restaurando todos os arquivos de download do blog para que fique a disposição de todos. Estou começando com os mais procurados, creio que em uma semana esteja tudo nos conformes. Depois irei retornar as postagem dos conteúdos que aprendi ao decorrer de minha formação.

Bem, conto com o auxilio de todos, como sugestão, colaboração com texto e arquivos e incentivo, afinal, não custa deixar um recado falando… legal… \o/
Ler Mais

Download - Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica


tratado brunner
Livro - Brunner e Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica
Esta excelente fonte de aprendizagem, de grande aceitação no Brasil, oferece agora mais oportunidades para você compreender e melhorar sua função no cuidado de enfermagem aos clientes adultos no processo de saúde e doença.
A meta do tratado é fornecer atenção balanceada para a arte e a ciência da enfermagem médico-cirúrgica para o adulto. O texto focaliza os conceitos fisiológicos, fisiopatológicos e psicossociais, na medida em que eles se relacionam com o cuidado de enfermagem, com ênfase sobre a integração de vários conceitos de outras disciplinas, como Nutrição, Farmacologia e Gerontologia. Ao longo de todo o livro, foram enfatizadas, em particular, a abordagem do cuidado de enfermagem e as necessidades de cuidados de saúde das pessoas com incapacidades, as quais foram identificadas, em 2005, pelo U. S. Surgeon General como uma prioridade para que os profissionais de saúde do futuro promovam educação e treinamento.

Nome do livro: Tratado de Enfermagem Médico-Cirúrgica
Autores: Brunner & Suddarth
Idioma: Inglês
Tamanho do arquivo: 30,7 MB
Ler Mais

Download - Biologia Celular e Molecular Junqueira

Livro - Biologia Celular e Molecular 6.ed. - Junqueira e Carneiro - Português – pdf

A primeira edição deste livro foi publicada em 1972 sob o título de Citologia Básica, visando complementar o outro livro didático dos autores, "Histologia Básica", no que se refere à estrutura e às atividades celulares. Nas edições seguintes, a quantidade de informações sobre as células no Histologia Básica foi muito aumentada, porém ainda continuam insuficientes para um conhecimento mais amplo das funções celulares, o que é necessário para o estudo dos tecidos e da estrutura dos órgãos. Ao mesmo tempo, os conhecimentos sobre as células aumentaram vertiginosamente, de tal modo que o termo Citologia deixou de ser usado pelos diversos autores, sendo mais apropriado para os livros dedicados ao estudo das células a designação, hoje usada por todos os autores, de Biologia Celular e Molecular, designação que foi também adotada pelos autores. Vinte e cinco anos depois da primeira edição, os desafios continuam os mesmos, porém aumentado, já que está 6ª edição é de 1997.

Apesar de esta ser uma edição um pouco mais antiga, dá para se consultar e tirar algumas dúvidas.



Nome: Biologia Celular e Molecular  6ª d

Autor: José Carneiro; Luiz  Junqueira
Tamanho: 24,9 MB

Ler Mais

Tuberculose Pulmonar: Etiologia e Transmissão

  • ETILOLOGIA

tuberculose transmissãoA tuberculose pulmonar é uma doença infecciosa de evolução crônica comprometendo os pulmões. O gênero Mycobacterium são bacilos retos ou ligeiramente curvos que não formam esporos, esses bacilos possuem alto teor de lipídios presente na sua cápsula que leva a resistência a soluções contendo álcool ou ácido, porém ele é facilmente destruído por agentes físico, tais como o calor. Seu metabolismo é voltado para a construção dessa cápsula.

Aeróbico, duplica sua população entre 18h à 48h dependendo do pH, O2  e nutrientes do meio onde se encontra.

 

O Mycobacterium tuberculosis é dependente de parasitismo, pois não se apresenta livre na natureza.

 

Sua transmissão se dá por vias aéreas, facilitada pela aglomeração, tendo baixa morbidade que com o crescimento lento provoca doença de curso lento e crônico em indivíduos com baixa imunidade, pois os bacilos de Koch (Mycobacterium tuberculosis) não conseguem romper epitélio e infectar por suas próprias custas já que não possuem toxinas.

 

  • TRANSMISSÃO

 

Com a descoberta do bacilo por Koch (1882), introdução de diagnostico, aplicação da radiologia pulmonar e estudos epidemiológicos, foi possível a realização de densos estudos sobre a transmissão humana do M.tuberculosis.

Um desses estudos foi realizado para demonstrar que os bacilos sobreviviam algum tempo foda do organismo foi realizado um experimento em uma enfermaria que possuía pacientes eliminadores de bacilos no escarro em confinamento e que nos ductos de ar possuía animais não infectados pelo bacilo. Após certo período de experiência pode perceber que os animais foram infectados  comprovando assim a teoria.

 

Modelos in vitro os bacilos se comportavam de duas maneiras se depositavam no chão ou levitavam. Das que levitavam apenas as que ressecavam apresentavam característica aerodinâmica semelhante as dos gases (gotículas de núcleos de wells). No trajeto para chegar nos alvéolos, ao passar pelos bronquíolos os bacilos são eliminados pelo sistema mucociliar ou caem no sistema digestório e apenas os que conseguem chegar ao nível dos alvéolos terão possibilidade de casar uma infecção.

 

tuberculose gotículas

 

As relações entre bacilo, foco transmissor (doente) e seus contatos como maior quantidade de escarro , bacilos, tosse interferem sobre a comunicabilidade do bacilo de Koch, já que estudos relatam que quanto maior numero de tosse maior também será o numero de infectados e que pacientes com melhora de estado nutricional tendem a apresentar tose mais vigorosa levando assim a uma maior transmissão do M.tuberculosis.

 

Para uma infecção bem sucedida o tempo de exposição tem que ser no mínimo de 100 a 200 horas, quanto mais demorada a convivência maior a possibilidade de transmissão, com isso surge a necessidade de investigação dos contatos mais próximos. O contagio depende da relação entre o foco e o contato, sendo os contatos mais infectados os intradomiciliares e os íntimos. A infecção e a doença são mais comum entre indivíduos de baixa idade ou idosos, portadores de doenças imunossupressoras e os tuberculinos negativos, este ultimo é explicado, pois a presença de hipersensibilidade protege da reinfecção exógena quando exposto a um pequeno numero de partículas infectantes.

 

O tratamento interfere no contágio, já que nas 1ª semanas do tratamento a uma redução de bacilos eliminados pelo escarro. Nas gotículas ressecadas o medicamento também interfere a nível de multiplicação e sobrevida da bactéria impedindo assim o contágio. 

Ambientes mais ventilados, com troca de ar constante leva a uma maior segurança de prevenção, visto que 1% das gotículas suspensas conseguem sobreviver por algumas horas no ambiente.

 

Para  uma quebra na cadeia epidemiológica e tratamento eficaz  é necessário um diagnostico precoce que infelizmente no Brasil ainda não tem sido praticado como deveria.

 

Próximo post sobre tuberculose irei abordar a patogenia e a etiologia da Tuberculose Pulmonar. Já conhecem o fórum do Enfermagem… A Arte do Cuidar? Pois bem confiram o fórum que estou montando para todos nós partilharmos conhecimento. Acesse e confira e colabore: Fórum Enfermagem... A Arte do Cuidar.

Ler Mais

Tuberculose Pulmonar

Mycobacterium tuberculosisBem, após um semestre puxado o qual fez eu diminuir a frequência das atualizações no blog, aqui estou eu novamente para compartilhar com todos os conhecimentos que adquirir durante esse período de ausência do Enfermagem... A Arte do Cuidar. Para ter um retorno a altura irei começar com uma doença que é a mais comum da humanidade, isso segundo Veronesi, ela é a Tuberculose.

  • INTRODUÇÃO
 A tuberculose é a doença mais comum da humanidade, tendo como agente etiológico a Mycobacterium tuberculosis. Em 1970 mesmo com a descoberta de potente quimioterapia os casos de tuberculose cresceram sendo os fatores que explicam essa situação a relação da bactérias com os portadores de HIV; ampliação da miséria; aumento da longevidade e deterioração da saúde. Possivelmente os humanos se infectaram por ingestão de carne e leite contaminados e aos poucos os bacilos (Mycobacterium boi) se mutaram para uma melhor transmissão.
 
Endêmica na antiguidade espalhou-se pelo mundo através do colonialismo e expansionismo. Durante as guerras mundiais a epidemia chegou ao ápice nas américas.
 
As condições dadas para que a microbactéria evolui-se foram os aglomerados humanos com subnutrição, já que é um ambiente que proporciona fácil propagação e baixa imunidade dos presentes, caracterizando uma população de baixo poder socioeconômico que no período colonial se refere aos  escravos.
 
  • EPIDEMIOLOGIA
 Com a redução de incidência e prevalência, uso de vacina (BCG) e descoberta de medicamentos, deu a ilusão de controle da tuberculose. Em 1970 os países ricos apresentavam uma queda e controle de casos, enquanto os países pobres enfrentavam uma epidemia. Este panorama pode ser observado ao analisar os dados da época referente a tuberculose, os quais mostram que a cada ano eram infectados 100 milhões de pessoas, onde 21% pertenciam aos países ricos, com maior incidência em idosos e 70% aos países pobres com maior incidência na faixa etária de 15 a 59 anos. O numero de óbitos nessa época nos países ricos girava em torno de 1,3%, enquanto nos países pobres chegava a alarmantes 98,7%.
 
Nos países médios a dificuldade e estaria relacionada a integração com as diversas estruturas sanitárias e o sucesso depende também da participação de especialistas.
80% dos casos de tuberculose no mundo concentram-se nos países assinalados em tons de vermelho. Fonte: OMS (2007)
80% dos casos de tuberculose no mundo concentram-se nos países assinalados em tons de vermelho. Fonte: OMS (2007)
 
Atualmente o panorama da tuberculose no mundo é que ela é uma doença “reemergente” nos países ricos e “permanente” nos países pobres.
 
Na próxima postagem sobre tuberculose pulmonar estarei trazendo a etiologia do bacilo e a transmissão.
Ler Mais

II Simpósio de Saúde Mental


O consumo de drogas vem tomando proporção de grave problema de saúde pública no Brasil, pela relação comprovada entre o uso e agravos sociais que dele decorrem ou que o reforçam, encontrando ressonância em diversos segmentos da sociedade. Neste sentido, reconhecemos a importância de investirmos na formação de profissionais para atuar no campo específico da saúde mental, sendo essencial a qualificação dos profissionais em serviço e formação dos estudantes de graduação dos diversos cursos da área de saúde na perspectiva do trabalho interdisciplinar, visando atender às necessidades do Sistema Único de Saúde e da Política Nacional de Atenção á Saúde Mental. No dia 10 de outubro comemora-se o Dia Mundial da Saúde Mental e, nesse contexto, convidamos a todos para participarem do II Simpósio de Saúde Mental da UESB que ocorrerá nos dias 13 (18 ás 21:30h) e 14 (8 ás 18h) de outubro de 2011, no auditório Waly Salomão - UESB/Jequié.

As inscrições serão realizadas no dia e no local do evento a partir de 1kg de alimento. A incrissão de trabalhos cientificos a serem apresentados no II Simpósio deverá ser feita enviando um resumo em arquivo .doc para o e-mail simposiosmuesb@gmail.com até o dia 30/09/2011, ás 23h59min.

As duas areais temáticas para as produções são:
Área Temática 1: O cuidado à família que vivencia situações de sofrimento mental. Atenção á Saúde Mental de Grupos Populacionais. Dispositivos de Cuidado em Saúde Mental. Política de Atenção á Saúde mental. Rede de Atenção em Saúde Mental.

Área Temática 2:  O enfrentamento do uso abusivo de Crack, Álcool e outras Drogas: O Sistema Único de Saúde. Políticas Públicas. Planejamento e Gestão em Saúde Mental. Rede de Atenção.


Para maiores informações acessem a página do II simpósio de Saúde Mental link a seguir: http://www.uesb.br/eventos/saude_mental/index.php

Contamos com a presença de todos! 
Ler Mais
 
Enfermagem... A Arte do Cuidar | by TNB ©2010